em 24/10/2016 - 13:10

Benefícios do Leite Vegetal e Como Fazer Em Casa

Para veganos e intolerantes ou alérgicos aos leites animais, os leites vegetais são grandes aliados para o consumo ou em receitas. Aprenda a fazê-los em casa





Nós somos a única espécie, além dos animais que domesticamos, que toma leite depois da infância. Um hábito que mantemos mesmo sabendo, hoje, que o leite de vaca não faz exatamente bem à saúde.

A boa notícia aos que usam diariamente leite é que é possível produzi-lo com qualquer castanha, grão ou semente. 

Extratos vegetais, ou leite vegetal como são mais popularmente conhecidos, são uma ótima alternativa ao leite de vaca, além de oferecerem novos sabores e texturas. Além disso, servem perfeitamente aos intolerantes a lactose ou vegetarianos. Sem nenhum resquício de origem animal, é possível usar o ingrediente para preparar variados tipo de receitas, doces e salgadas.

Todos os leites vegetais podem ser aquecidos, mas nunca fervidos, pois podem talhar. Bem tampados na geladeira duram cerca de 3 dias. Todos devem ser coados ao final. Se o coador for de pano, dê preferência para um tecido orgânico, assim não se contamina esse alimento tão saudável na última etapa.

No artigo de hoje, nós falaremos um pouco mais sobre o leite vegetal, conheceremos alguns de seus benefícios e ensinaremos como fazer a sua própria receita em casa.

Muitos não gostam de tomar ele puro, mas você pode acrescentar baunilha, açúcar mascavo, ou melado para deixar mais gostoso, isso pode ser feito também com os outros leites vegetais.

 

Benefícios do leite vegetal

Benefícios do leite vegetal

1 – Número de calorias por porção

Uma porção de 200 ml de leite integral possui 124 calorias. Enquanto isso, os mesmos 200 ml de leite de soja trazem 82 calorias. Já uma porção igual de leite de amêndoas vem com 34 calorias, o leite de aveia contém 89 calorias e o de arroz tem 108 calorias.

Os dados mostram que para quem deseja emagrecer ou manter a boa forma, através do controle calórico, substituir o leite integral pelo leite vegetal é uma tática bastante vantajosa.

É claro que isso não garantirá o emagrecimento ou a perda de peso, porém, poderá auxiliar o processo, de maneira geral.

2 – Facilita a vida de quem sofre com restrições alimentares

Quem sofre com intolerância à lactose sabe como pode ser difícil encontrar alimentos e receitas que não tragam problemas à saúde. O fato de poder ter acesso a um leite vegetal – e poder prepará-lo em casa, controlando os ingredientes utilizados na bebida – facilita na hora de preparar as refeições, tendo em vista que o leite é utilizado em muitas receitas culinárias.

3 – É nutritivo

Além do sabor e da cor, as propriedades nutricionais variam também de um leite para outro, o de soja é rico em cálcio e proteínas. O de arroz é rico em vitaminas do complexo B, e o de aveia em vitamina E e fibras, já o de nozes em ácidos graxos ômega-3 e 6, zinco e minerais. Cada um possui sua particularidade, mas todos podem ser utilizados no café, no achocolatado, na vitamina, em receitas de bolos, tortas, entre outros.

Dentre os leites vegetais, os mais nutritivos são o de aveia, linhaça, amêndoas, quinoa e nozes. Além disso, eles não possuem colesterol e não são fontes de gorduras ruins. 

No entanto, é importante prestar atenção, pois o leite de arroz, por exemplo, não traz muitas proteínas e é rico em carboidratos.

4 – Auxilia a digestão

Tanto a lactose quanto a proteína do leite podem tornar a digestão mais complicada. Uma vez que o leite vegetal não possui essas substâncias em sua composição, ele contribui com a digestão ao mesmo tempo em que colabora com o combate a problemas como prisão de ventre e síndrome do intestino irritável, por exemplo.

Leites como o de amêndoa também trazem uma boa dose de fibras, um grupo de nutrientes que faz bem ao processo digestivo.

5 – Baixo índice glicêmico

O índice glicêmico é uma unidade que avalia a velocidade pela qual o consumo de um alimento promove o aumento das taxas de açúcar no sangue. Quanto maior for o índice glicêmico, maior é a velocidade pela qual a bebida ou comida em questão provoca picos de glicose no sangue. Já quando esse número é baixo, o nível de açúcar cresce aos poucos, de maneira consistente.

Para quem sofre com diabetes, o ideal é ingerir alimentos com baixo índice glicêmico, que ajudam a controlar a taxa de glicose sanguínea. Por que estamos falando tudo isso? É que o leite de soja, um tipo de leite vegetal, possui baixo índice glicêmico e pode contribuir neste sentido.

 

6 – Fonte de antioxidantes

O leite de nozes é um leite vegetal que abastece o corpo com uma boa dose de antioxidantes. Estas substâncias são importantes porque auxiliam as células do corpo humano, combatendo as ações dos radicais livres que causam doenças e aceleram o processo de envelhecimento.

 

Um pouco mais sobre cada tipo de leite:

Aprenda fazer leite de extratos vegetais

– Leite de coco:

O coco é rico em ácido láurico e o monolauril, duas gorduras de rápida digestão que se transformam em energia. Também ajudam a regular o funcionamento da tireoide, acelerando o metabolismo.  O ácido láurico tem propriedades antibacterianas, antifúngicas e antivirais, melhorando o sistema imunológico. 

É rico também em nutrientes que garantem um bom funcionamento do organismo, como vitaminas A e E, potássio, cálcio,  ferro, ácido Fólico e selênio. E fibras, o que garante a saúde intestinal.

Ao ser armazenado na geladeira ele irá se separar em duas partes, a de cima irá se solidificar porque é onde tem o óleo do coco, que em temperaturas abaixo de 25°C se solidifica. E a parte de baixo é a água, mas é só mexer bem novamente para poder tomar. Em temperatura ambiente ele derrete e volta ao estado líquido novamente.

 

– Leite de castanha do Pará:

É o leite mais gorduroso de todos os leites vegetais, claro que a gordura da castanha é boa. E é o leite que tem o sabor mais forte.

As castanhas-do-pará são conhecidas como "pílulas da felicidade". Rica em selênio, um importante antioxidante que varre as impurezas das células. Contém ainda vitaminas E e B1, que exercem papel importante no metabolismo das proteínas e na geração de energia.

É um ótimo substituto para o leite de vaca em pratos salgados. Pode ser usado no molho branco e pode substituir o creme de leite.

 

– Leite de castanha de caju:

O leite de castanha de caju é o leite vegetal mais cremoso que existe. As castanhas se dissolvem completamente na água, não precisa nem coar. 

Esse leite protege os vasos sanguíneos, facilitando a circulação do sangue. Além de fornecer proteínas e diminuir o colesterol.

 

– Leite de linhaça:

Maior fonte vegetal de ômega 3. A linhaça tem a função adstringente, ou seja, é uma ótima aliada na perda de gordura. O uso dessa semente também está associado ao tratamento de problemas na pele como ressecamento, psoríase, acnes e alergias.

A semente de linhaça fortalece a imunidade, pois é um alimento que apresenta substâncias bioativas, capazes de prevenir e tratar inúmeras doenças. Também diminui as triglicérides, reduz doenças cardíacas e é um anti-inflamatório notável. Para os intestinos funcionarem bem, nada melhor do que utilizar a linhaça diariamente.

 

– Leite de amendoim:

O amendoim tem sabor similar ao leite de amêndoas, com a vantagem de ser mais econômico.

Protege o organismo da ação dos radicais livres e possui grande quantidade de proteínas. O óleo das sementes não é prejudicial, pois sua gordura não é saturada.

O amendoim é rico em resveratrol, um poderoso antioxidante, que impede que o colesterol LDL forme placas enrijecidas nas artérias.  Tem arginina, um aminoácido que, dentro do corpo, se transforma em óxido nítrico que relaxa as artérias e aumenta o fluxo sanguíneo e diminui a pressão arterial. É fonte de ácidos graxos monoinsaturados, as gorduras do bem – incluindo o ômega-3, tem grande quantidade de potássio, magnésio e vitamina E.

 

– Leite de sementes de abóbora

Verdadeira mina de ferro, fósforo e cálcio, combate anemia, ajuda na formação de glóbulos vermelhos, na oxigenação das células e na formação de ossos, músculos e cérebro. Limpa os intestinos e combate vermes. As sementes frescas são indicadas para náuseas e enjôos das gestantes. 

 

– Leite de girassol 

Talvez sua principal propriedade seja a de ser um antioxidante poderoso, protegendo o organismo contra a poluição, o estresse e o envelhecimento precoce. É rico em proteínas e contém minerais como fósforo, cobre, ferro, zinco e vitaminas B6, E e K.

Rica e nutrientes como cálcio e magnésio, a semente de girassol pode ser uma ótima aliada para melhorar o funcionamento do corpo. Além disso, o ácido clorogênico ajuda a reduzir os níveis de açúcar no sangue, limitando a quebra de glicogênio no fígado.

São excelentes fontes de vitaminas do complexo B, como a niacina, ácido fólico, tiamina (vitamina B1), piridoxina (vitamina B6), ácido pantotênico e riboflavina. 

Um dos mais importantes nutrientes contidos na semente de girassol é o triptofano, um aminoácido capaz de aumentar a produção de serotonina no cérebro. Conhecida como “hormônio da felicidade”, a serotonina é responsável pela sensação de tranquilidade e bem-estar, além de estar relacionada ao aumento da sexualidade, já que é o hormônio liberado durante o orgasmo.

 

– Leite de inhame 

O inhame é rico em vitamina B6, que ajuda a reduzir os riscos de doença cardíaca, é fonte de potássio, contém amido e fibras solúveis que ajudam a controlar os níveis de açúcar no sangue (baixo IG). Ajuda a fortalecer o sistema imunológico, é desintoxicante. 

Os compostos antioxidantes do inhame – betacaroteno e vitamina C – ajudam a prevenir os mais variados tipos de câncer. Estes nutrientes nos protegem da ação de radicais livres, agentes que podem provocar mutações no DNA que levam a uma proliferação celular desenfreada.

Reduz os níveis de colesterol na corrente sanguínea já que reduz a absorção dessa substância pelo intestino.

O inhame contém diversos nutrientes e entre eles podemos citar o potássio, o cálcio, o ferro, o fósforo, vitaminas do complexo B, vitamina C e vitamina A. Além disso possui uma grande quantidade de fibras que auxilia o sistema digestivo e controla os níveis de glicose.

Esse tubérculo também auxilia a equilibrar os níveis do hormônio progesterona e também reduz os sintomas da TPM e pode ajudar mulheres a engravidar mais rapidamente.

 

– Leite de avelãs

A avelã é rica em vitaminas: E, B, B1, B2 e B9, potássio, magnésio, cálcio, manganês e fósforo. Também tem flavonoides que ajudam a melhorar a circulação e saúde do cérebro. Assim como as amêndoas, contém gordura saudável que ajudam a proteger o coração.

 

– Leite de quinua

Por conta do seu alto valor nutrititivo, a Quinua é comparada ao leite materno. É riquíssima em proteínas e, segundo os antigos incas, o alimento mais rico do planeta em aminoácidos e vitaminas.

Grão típico das regiões andinas, é fonte de cálcio, ferro e ácidos graxos como o ômega 3, além de ser rico em fibras. 

 

– Leite de gergelim

O gergelim é um ótimo alimento para diminuir o colesterol ruim e, além disso, o seu leite apresenta mais cálcio que o leite de vaca. O gergelim é ótimo para os músculos e o cérebro. Tem muita proteína e ácido fólico, essencial na formação das células sanguíneas.

 

– Leite de banana 

Rico em sacarose, glicose e frutose, rico em ferro, fonte de potássio; previne a anemia e ajuda na prevenção da hipertensão. arterial.

 

– Leite de melão

Rica em vitamina B12, a semente de melão também contém vitaminas A, B6, D, E e K. Além disso, as quantidades de proteínas, lipídios, fibras e carotenoides, presentes nas sementes, são superiores as encontradas na polpa da fruta.

Por essa razão, são melhores para regular a temperatura do corpo, facilitar o transporte de nutrientes dentro do organismo e até mesmo proteger os órgãos de traumas, à exemplos de quedas fortes.

Tem um alto conteúdo de proteínas (21%), baixo conteúdo de gorduras não saturadas. 

O consumo diário das sementes de melão fortalece também a capacidade física, acelera o metabolismo e atua como tônico do sistema nervoso central.

 

– Leite de soja

Há algumas ressalvas quanto a ele: o excesso no consumo pode ser prejudicial para quem sofre com problemas na tireoide e pesquisas indicam que comer alimentos feitos à base de soja pode causar problemas de fertilidade e diminuir a contagem de espermas.

Mas não é só isso. A soja ainda pode aumentar a probabilidade de coagulação sanguínea e prejudicar a absorção de nutrientes.

Entretanto, possui fósforo, potássio, magnésio, ferro, cálcio, cobre, diversos aminoácidos essenciais, e doze vezes mais proteína do que o leite de vaca. Ele é pobre em gorduras saturadas e colesterol.

 

– Leite de arroz integral

O leite de arroz é um dos leites vegetais com textura mais fina. De fácil digestão, leite de arroz tem sabor neutro e pode ser utilizado em diversas receitas. Dependendo do tipo de grão utilizado, o sabor muda.

Rico em carboidratos, pobre em proteínas e é o que apresenta menores propensões de desenvolvimento de alergias, além de ser fonte de vitaminas do complexo B. 

É um poderoso desintoxicante. Os nutricionistas dizem que o leite de arroz "descansa" os órgãos do corpo. Tem proteínas, vitamina B1 e niacina, responsáveis pela transformação das proteínas e carboidratos em energia.

 

– Leite de amêndoas:

Além de ser consumido puro, o leite de amêndoas é ideal para ser utilizado em receitas, já que seu sabor é um dos mais neutros dentre os leites vegetais.

É um dos mais nutritivos por possuir alto teor de magnésio, cálcio, ferro, zinco,  ônega 3 e 6 – gorduras boas que ajudam a diminuir o mau colesterol e elevar o bom, e vitamina E. Fonte de fibras. Previne a osteoporose, e ajuda quem possui anemia, além de ser benéfica para os músculos e para o cérebro por possuir potássio. 

Suas propriedades são benéficas para quem sofre com problemas hepáticos, anemia, fraqueza, desnutrição ou excesso de colesterol ruim. 

É mais saboroso consumir bem gelado. 

 

– Leite de aveia:

O leite mais prático e barato para fazer em casa.

Rico em carboidratos, fibras e proteínas, o leite de aveia é bom para saciar e fornecer energia. Ele é fonte de ácidos graxos essenciais e vitamina E e oferece benefícios como diminuição do colesterol e melhoria do sistema digestivo.

 A aveia é importante na alimentação dos diabéticos, pois contém fibras solúveis, que auxiliam no controle da glicemia e facilita o fluxo intestinal. Protege o coração e a circulação contra a aterosclerose. É rica em cálcio, ferro, magnésio, vitaminas do complexo B.

 

– Leite de nozes:

as propriedades medicinais das nozes são muitas. Entre elas estão a redução do risco de diabetes e o aumento nos níveis de serotonina, responsáveis pelo bom humor.

É bom para quem sofre com diarreia, possui antioxidantes, vitamina E, ômega 3, ômega 6, zinco, cobre, selênio e magnésio e previne doenças cardiovasculares e diabetes. 

As nozes, em geral, favorecem o aparelho respiratório. Sua gordura é facilmente metabolizada pelo organismo enquanto seu aspecto enrugado lembra o cérebro humano. Não por acaso, as nozes tonificam o sistema nervoso.

 

Como fazer o seu leite vegetal caseiro

Como fazer seu leite vegetal caseiro

Nós mostraremos algumas receitas de como preparar o leite vegetal em casa, mas antes preste atenção em algumas dicas:

  1. Lavar sempre as sementes e os grãos;
  2. Deixar na geladeira por no máximo três dias;
  3. Coar com uma peneira fina;
  4. Adoçar o leite, se achar necessário, com açúcar mascavo, mel ou melaço.
  5. Todos os leite vegetais podem ser aquecidos, mas nunca fervidos, pois podem talhar.

 

O processo é basicamente o mesmo para as oleaginosas, sendo pouca coisa diferente o processo dos outros. 

Veja receita de cada um aqui. Hoje vou postar essa receitinha básica.

 

Receita:

  • 1 xic de castanhas da sua preferencia (deixe de molho na noite anterior em água filtrada, cobertos, fora da geladeira) 
  • 3 copos de água filtrada
  • 1 liquidificador e 1 peneira fina, ou de tecido (que é a melhor maneira)

Depois de deixar as castanhas de molho por 8 horas, descarte a água. Coloque no liquidificador com os 4 copos de água e bata bem, por uns 3 minutos. Coe, e está pronto!

 

Dicas

Você pode adicionar uma colher de chá de essência de baunilha e um pouco de açúcar caso queira. O leite deve ser guardado na geladeira e consumido em até 4 dias.

Pode ser utilizado para fazer molho branco, vitaminas, em bolos, no café com leite, enfim em todos os lugares onde entraria o leite de vaca em suas receitas! 

A e as sobras das castanhas também podem ser utilizadas para fazer cookies, bolos, e até mesmo queijo vegetal! Ficou curiosa? Veja o que fazer com os resíduos aqui!

 

 




Deixe seu comentário


Veja Também

Mais Lidas
Enquete
 Documento sem título


(66) 9604-6757
contato@conexaosorriso.com.br